Mário Barbará-O cara que me fez Ouvir música Gaúcha

1 mario barbará

O Ano era 1983 e meu pai chegou em casa com uma “pilha” de discos e eu sempre muito curioso com qualquer tipo de música fui ali e ouví um por um daqueles discos, mas um me chamou a atenção em especial era do grupo Canto Livre e a música se chamava “Desgarrados”, o autor era Mário Barbará e Sérgio Napp.

Eles se encontram no cais do porto pelas calçadas…

Desse grupo aliás saiu o “Guri de Uruguaiana”, Jair Kobe. Mas ainda entre os discos da “pilha”, tinha mais um de um grupo gaúcho chamado Saracura e ali todas as músicas eram boas de escutar e duas delas mais uma vez eram de autoria de Màrio Barbará, Xote da amizade:

“Mas quem foi que disse,

que eu não sei cantar,

eu chorei baixinho. andei rasinho, de sofrer,

Mas me levantei, e como andei nem lembro mais…

e a outra, Bolero Lero:

“O nosso caso está todo errado,

Já não há ponto de união,

No entanto quando um chora,

O outro também sente ferido o coração…

E por último da mesma “leva” de discos tinha um chamado “o festival dos Festivais e ali uma das músicas que mais ouví era uma parceria de Mário Barbará com o grupo saracura chamada “Campesina”, também uma parceria com Sérgio Napp e dizia assim:

” Levantar-se a tempo de acordar o sol
Preparar a erva para o chimarrão
Leite para os guachos, roupa no varal
Água na cacimba e varrer o chão”

Ou seja, Mário Barbará foi um cara que fez um rockeiro como eu gostar da música gaúcha, ou pelo menos prestar atenção nas belas canções que encantaram nossos festivais de música.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s